>Acenda uma vela!

>

linguaDiz o ditado popular que se conselho fosse bom, a gente não dava, vendia, ou que conselho e água, a gente só dá para quem pede. Definitivamente, eu nunca consegui seguir esses ditados. O Mário costuma dizer, que minha língua é maior que a boca. 
moscaNão consigo ficar quieta, calada. Mesmo sabendo, que em boca fechada não entra mosca. Acabo saindo de intrometida, quando tenho a melhor das intenções. Mas, como de intenções, o inferno está cheio, muitas vezes, um bom conselho pode ser ignorado, devido a má fama do ato.
Assim, com a melhor das intenções, vou deixar um bom conselho. E para que ele seja bem compreendido, é ilustrado. Porque mesmo que para um bom entendedor, meia palavra baste, uma imagem vale mais que mil palavras!

Acenda uma vela!

Tem dia que a gente acorda se sentindo uma carta fora do baralho.

baralho

Um verdadeiro peixe fora d’água

peixe

 
Parece que  o mundo inteiro está nas nossas costas….

mundo

E qualquer coisa pode ser uma puta  pedra no sapato!

sapato

Dá aquela vontade de chutar o balde.

balde

 
Porque mesmo andando na linha e

linha



Ralando o peito todo santo dia,

peito



Tomando o maior cuidado para não trocar as bolas.

bolas

Nem marcar touca, 

touca

Não tem jeito, entramos pelo cano!

cano

 
Mesmo dando tudo de nós, trocando os pés pelas mãos

pés

  
Acabamos pagando o pato por algo que não fizemos ou dissemos.

pato


Algo absurdo, bobo, muitas  vezes sem pé nem cabeça, mas que

cabeça

Acaba nos tornando o testa de ferro,

ferro

De quem lava as mãos e

lavar

Não assume que pisa na bola!

bola

E muitas vezes, dá vontade de descascar o abacaxi, gritar, xingar, mas no fim,

abacaxi

Precisamos mesmo é viver pisando em ovos,

ovos

Controlando os nervos para não quebrar o pau de uma vez!

pau

Muitas vezes temos que tomar um chá de cadeira

cadeira

Esperando a decisão daquele chefe mala sem alça,

mala



Que a gente morre de vontade de mandar queimar a rosca… 

rosca

 Mas, como peixe morre pela boca,

boca



Não é seguro dar essa sugestão, então vamos engolindo um puta sapo todo dia.

sapo

Quando você estiver se sentindo assim, com a corda no pescoço.

pescoço

Ou talvez com o coração partido. 

coração




Não fique chorando pelo leite derramado,

leite

Nem faça tempestade em copo d’água

tempestade



E muito menos, pense em pendurar as chuteiras. 

chuteiras

Ou botar as barbas de molho.

barbas

Também não fique procurando pêlo em ovo!

ovo

Nem com minhoca na cabeça!

minhoca


Não dê uma de João sem braço, que acha que não pode fazer nada!

joao

Enchendo lingüiça, deixando o tempo passar…

tempo

Ao invés de tentar acertar na mosca.

mosca

Não se esqueça que a vida é curta e a qualquer hora você pode bater as botas!

botas

 Você tem a faca e o queijo na mão.

faca


Dê um tempo. tirar uma água do joelho… Ler um bom livro. Tomar uma ducha.

joelho

Ouvir uma boa música ou assistir um filme engraçado pode ser uma mão na roda. Distrai, relaxa e ajuda mesmo!

roda

 Anime-se. Vá se divertir. Solte a franga!

jaca

Enfie o pé na jaca mesmo!

jaca

 
Lembre-se das coisas boas da vida…como agasalhar o croquete

croquete

Molhar o biscoito…

filme

Mas, cuidado para não queimar o filme! Tudo é bom com parcimônia!

queimar
Dani Starck

Não fique com pé atrás com as pessoas. Ainda tem gente boa nesse mundo!

pessoas

Abra o seu melhor sorriso, mesmo que forçado. 

cavalo

E siga adiante… devagar e sempre. Mas, não se esqueça nunca, que é

“Mais fácil acender uma vela que amaldiçoar a escuridão.” (Provérbio Chinês)

A maioria das imagens é do livro “Pequeno Dicionário Ilustrado de Expressões Idiomáticas” dos fotográfos Everton Ballardin e Marcelo Zocchio publicado pela Editora DBA em 1999. 

>Não faça lixo, faça Arte!

>

Outubro está chegando ao fim. Os comerciais de panetone já estão no ar. O ano está chegando ao fim e o Natal se aproxima. Em outros tempos, isso significaria um tempo de amor e união, de jantares e encontros familiares. Agora significa longas filas e muita grana em presentes! 
Já tive o prazer de mostrar uns trabalhos íncriveis feitos com lixo no post

“Brinquedos e idéias que iam para o lixo”, mas novas idéias sempre aparecem para encantar e surpreender!

David Edgar – Plastiquarium

Antes que o mar realmente não esteja para peixe, nem o céu para pássaros… acho que é uma ótima oportunidade de pensarmos em novas alternativas. Porque toda a tralha do Natal passado, provavelmente, ou já foi ou vai para o lixo. Aqueles brinquedos velhos, as bonecas sem cabeça, os carrinhos sem rodas…

David Edgar – Plastiquarium
E já que sustentabilidade e ecologia estão na moda, por quê não pensar em inovar nos presentes??? ECOlogia e ECOnomia podem resultar em muita diversão, relax e alguns pontos no céu. As crianças adoram! Não vá gastar uma fortuna numa boneca falante, cuja caixa será mais atraente para sua filha!

David Edgar – Plastiquarium
Veja o que se pode fazer com garrafas, latas, sacolinhas de mercado, embalagens de amaciante e shampoo, entre outras coisas, que certamente você joga fora todo dia. E se você não tem a menor paciência para trabalhos manuais, mas tem uma grana e quer ser ecologicamente correto, você encontra todas essas coisinhas lindas e criativas à venda (não é barato)!

David Edgar – Plastiquarium
David Edgar – Plastiquarium
David Edgar – Plastiquarium

David Edgar – Plastiquarium

David Edgard – Plastiquarium – embalagens de amaciante e outros
Galinhas de sacolas de mercado

Joaninha de sacolinhas

Galinha de sacolinha

Colar de lata de aluminio – Funky Recyclin

Broche de lata de aluminio – Funky Recyclin

Brincos de lata de aluminio – Funky Recyclin
Pavel Sidorenko – Re-Vinil

Pavel Sidorenko – Re-Vinil

Sang Won Sung

Sang Won Sung

Jolis Paons

Jolis Paons – vestido de jornal!
Sarah Turner – Luminarias de Garrafas Pet

Sarah Turner – Luminarias de Garrafas Pet

Sarah Turner – Luminarias de Garrafas Pet

Sarah Turner – Luminarias de Garrafas Pet

Sarah Turner – Luminarias de Garrafas Pet

>Ninguém é insubstituível

>“Na sala de reunião de uma multinacional o diretor nervoso fala com sua equipe de gestores. Agita as mãos, mostra gráficos e, olhando nos olhos de cada um ameaça:

– “Ninguém é insubstituível”. 

talento
Esculturas em cascas de ovos de Lew Jensen, Brian Baity


A frase parece ecoar nas paredes da sala de reunião em meio ao silêncio. Os gestores se entreolham, alguns abaixam a cabeça. Ninguém ousa falar nada. De repente um braço se levanta e o diretor se prepara para triturar o atrevido: – Alguma pergunta? – Tenho sim. – E Beethoven ?
– Como? – o encara o diretor confuso.
– O senhor disse que ninguém é insubstituível e quem substituiu Beethoven?
Silêncio…..O funcionário fala então:
– Ouvi essa estória esses dias contada por um profissional que conheço e achei muito pertinente falar sobre isso. 

trabalho

Afinal as empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas, no fundo continuam achando que os profissionais são peças dentro da organização e que, quando sai um, é só encontrar outro para por no lugar.
Quem substituiu Beethoven? Tom Jobim? Ayrton Senna? Frank Sinatra? Garrincha? Santos Dumont? Monteiro Lobato? Elvis Presley? Os Beatles? Jorge Amado? Pelé? Paul Newman? Tiger Woods? Albert Einstein? Picasso? Zico? 

unicos

Todos esses talentos marcaram a história fazendo o que gostam e o que sabem fazer bem, ou seja, fizeram seu talento brilhar. E, portanto, são sim insubstituíveis. Cada ser humano tem sua contribuição a dar e seu talento direcionado para alguma coisa. Está na hora dos líderes das organizações reverem seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da sua equipe focando no brilho de seus pontos fortes e não utilizando energia em reparar seus ‘erros/ deficiências’ .

esculturas
Lew Jensen


Ninguém lembra e nem quer saber se Beethoven era surdo, se Picasso instável, Caymmi preguiçoso, Kennedy egocêntrico, Elvis paranóico… O que queremos é sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, resultado de seus talentos.

arte
Esculturas em cascas de ovos de Lew Jensen

Cabe aos líderes de sua organização mudar o olhar sobre a equipe e voltar seus esforços em descobrir os pontos fortes de cada membro. Fazer brilhar o talento de cada um em prol do sucesso de seu projeto.
Se seu gerente/coordenador, ainda está focado em ‘melhorar as fraquezas’ de sua equipe corre o risco de ser aquele tipo de líder/ técnico, que barraria Garrincha por ter as pernas tortas, Albert Einstein por ter notas baixas na escola, Beethoven por ser surdo. E na gestão dele o mundo teria perdido todos esses talentos. 

sociedade
Alan Rabon
ovos
Lew Jensen

Seguindo este raciocínio, caso pudessem mudar o curso natural, os rios seriam retos não haveria montanha, nem lagoas nem cavernas, nem homens nem mulheres, nem sexo, nem chefes nem subordinados . . . apenas peças.
 

Nunca me esqueço de quando o Zacarias dos Trapalhões ‘foi pra outras moradas’. Ao iniciar o programa seguinte, o Dedé entrou em cena e falou mais ou menos assim: “Estamos todos muito tristes com a ‘partida’ de nosso irmão Zacarias… e hoje, para substituí-lo, chamamos:… . Ninguém … pois nosso Zaca é insubstituível”

Portanto nunca esqueça: Você é um talento único… com toda certeza ninguém te substituirá!

“Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo…, mas posso fazer alguma coisa. Por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso.”

“No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é…, e outras…, que vão te odiar pelo mesmo motivo…, acostume-se a isso…, com muita paz de espírito. ..”.
É bom para refletir e se valorizar!

Um bom dia….. insubstituível!!!!!

Ninguém é insubstituível”  por Célia Spangher

Recebi esse texto por e-mail, é de autoria da headhunter Célia Spangher. Ele já até foi publicado em alguns blogs, mas textos tão bons como esse precisam ser divulgados. Apesar de ser destinado ao mercado de trabalho, nada impede que sua mensagem seja ampliada para todos os setores da nossa vida. Além disso, achei o tema  bem adequado às íncriveis imagens das esculturas em cascas de ovos. Trabalhos, sem sombra de dúvida, insubstituíveis!

A imaginação transforma a realidade

Nossas crianças não têm mais imaginação. Já havia notado esse problema na minha casa, mas, dando aulas para outras crianças, notei que isso também ocorre com elas. Conversando com as professoras da escola, elas também me relataram o mesmo problema: elas sentem uma dificuldade enorme em ver as coisas naturalmente através do olhar da criatividade.

imaginação
Jan Von Holleben 

“Tudo que um homem pode imaginar outros homens poderão realizar.”  Julio Verne

A função da tecnologia é facilitar nossa vida, ampliar nossas opções de comunicação. Temos acesso às informações com variados pontos de vista. Não dá para negar a maravilha disso tudo. Porém, as crianças são expostas à tecnologia cada vez mais cedo. Recebem muitas informações antecipadamente desnecessárias para o seu desenvolvimento. Assim, passam a seguir padrões de comportamento, que não condizem com sua faixa etária. Nossas crianças estão deixando de serem crianças!
sangue
Mark Ryden
Nota-se a precoce preocupação com a aparência, o consumismo, o egocentrismo exarcebado, a futilidade e agressividade gratuita. Isso tudo cada vez mais cedo. Quando são oferecidas atividades lúdicas, onde eles precisam abstrair desses conceitos, eles não conseguem deixar a imaginação fluir. Precisam ser orientados o tempo todo. Durante uma atividade em grupo, dificilmente é possível unir o grupo, fazê-los pensar em unidade. São competitivos ao extremo. Não há mais iniciativa, nem liberdade de pensamento. Todos eles ficam mais preocupados em se expor ao ridículo, em expressar seus sentimentos, em não fazer o que pedido com exatidão, do que simplesmente, permitir que a criatividade natural  resolva a questão.
Fico seriamente preocupada com esse comportamento. O que será do nosso futuro com uma geração tão focada na razão e sem propósitos coletivos?
individualismo
Mark Ryden
Em uma das minhas aulas, propus aos alunos, que fechassem os olhos e deixassem o lápis correr pelo papel livremente, seguindo a velocidade dos pensamentos, dos sentimentos. Eles simplesmente não conseguiam. Não deixavam o lápis fluir, não conseguiam permanecer com os olhos fechados, tentavam dar formas, nomes. Sentiram-se muito incomodados com essa exposição. Quando finalmente, eu consegui convencê-los a se soltarem, uns até extrapolaram no s rabiscos. Feito isso, pedi que procurassem formas conhecidas naqueles riscos aleatórios. Eles se diziam incapazes de ver qualquer coisa. Sugeri que procurassem formas, como se procura nas nuvens, a maioria desconhecia esse tipo de brincadeira, ou dizia que isso era coisa de criancinha, chegando até a zombar da atividade. Após serem instruídos um a um, onde eu iniciei a busca, pouco a pouco, eles foram se entregando ao exercício, ficando muito felizes quando encontravam uma forma sozinhos.  Detalhe: esses alunos têm em média 7 ou 8 anos de idade!
agressividade
Mark Ryden
Nós, como pais, temos uma grande parcela de culpa nesse problema. Passamos a exigir das crianças, que se esforcem para serem os melhores, pois na sociedade atual, não há espaço para quem é mediano. Algumas mães  não aceitam, que seus filhos estejam fora desses padrões.  Enchem as crianças de atividades, que “os prepararão para o futuro”. Exigem que a escola antecipe fases, apresentando atividades complexas e cobrando da criança esse comportamento maduro. 
barbie
Mark Ryden
Há uma grande contradição na nossa sociedade.  Leis são impostas aos pais para ditarem como devem tratar seus filhos, punindo a repreensão física, devido aos traumas que a agressão possa causar no futuro, mas não questionam as sérias consequências dessa maturidade precoce. E esses danos já são visíveis agora:  dificuldade de relacionamento com a própria família e consigo mesmo, depressão, dificuldades de aprendizado e comportamento, falta de entusiasmo, distúrbios alimentares, dependência química e doenças psicossomáticas. 
tecnologia
Mark Ryden
Acredito que, ao mesmo tempo que trouxe tantas facilidades, a tecnologia também nos afastou uns dos outros. Essa nova tendência de recolhimento cria essa dificuldade de relacionamento. Estamos pouco a pouco perdendo a consideração pelo próximo. A sensação é de que estamos retrocedendo em nossa evolução, agindo como animais ensandecidos e cruéis. Estamos ensinando nossas crianças a seguirem esse exemplo de comportamento.
criatividade
Jan Von Holleben
Quem ainda não tem filhos, pode achar que não tem nada haver com tudo isso. Mas, não se engane. Todos nós servimos de exemplo para as futuras gerações, e a maneira como agimos hoje, certamente refletirá na nossa sociedade de amanhã. 
Libere as amarras desses podres padrões. Permita-se imaginar, criar e expôr seus sentimentos. Não se aborreça por não ser tão bom nisso ou naquilo tanto quanto seu colega é. Coloque-se  no lugar do outro antes de agir. Respeite as dificuldades alheias e as próprias. Antes de apontar os defeitos dos outros, reconheça os seus. Cultive, exerça e divulgue a gentileza. Ainda dá tempo de mudar essa realidade, que só nos afugenta dentro de nós mesmos. 
imaginar
Jan Von Holleben

“Imagine o filho que você quer ter, para imaginar o pai que você deve ser” Moisés Doxos

>Ver e sentir para entender

>

Fui convidada para dar aulas de Arte na escola dos meus filhos. Fiquei muito feliz e empolgada, pois terei a oportunidade de tentar transmitir o amor que sinto pela Arte.
van_gogh
Van Gogh
Infelizmente, toda a nossa cultura atual nos distancia da vivência artística. O que é oferecido nas escolas, não dá a oportunidade para as crianças absorverem  a mensagem que a Arte nos traz.
Quando falamos em Arte, o que vem à cabeça são pinturas caras, nem sempre bonitas ou objetos de decoração raras vezes úteis. O assunto é tido como supérfluo e distante da nossa realidade, mas a verdade é que a Arte está inserida em nossas vidas mais do que imaginamos. Há um preconceito em relação a ela. Muitos afirmam não entendê-la e portanto não  a apreciam. Outros dizem que até acham bacana, mas não têm opinião porque não conhecem.

grito
A Arte, que leva esse mesmo nome, é  incompreendida. Embora todos já tenham visto, e provavelmente tenham em casa uma pintura, uma escultura ou uma fotografia, esse tipo de manifestação é frequentemente ignorada, simplesmente porque não fomos educados para apreciá-la.
Uma obra de arte é compreendida pelos sentimentos e também pelos sentidos. Ser insensível diante do que ela transmite é o mesmo que possuir uma incapacidade, talvez tão grave quanto a cegueira ou a surdez. Toda obra carrega, além do seu conteúdo estético, seu contéudo emocional. De uma certa maneira, podemos sentir qual é o aspecto de um quadro tão bem como podemos ver os sentimentos que ele desperta. Estar aberto para essa percepção, nos torna mais atentos a muitos outros aspectos da nossa vida. Passamos a identificar, compreender e antecipar o comportamento e  os sentimentos das outras pessoas e de nós mesmos.
frida
A coluna partida – Frida Kahlo

Claro que quando descobrimos a história de uma obra, passamos a vê-la de outra maneira, muito mais profunda e verdadeira. Mas, não saber, não nos impede de receber sua mensagem. Usamos os desenhos e as cores para nos expressar desde os primórdios, então isso não nos é estranho. Com o advento da tecnologia, a maneira como nos expressamos também mudou, desta forma, nos distanciamos tanto da Arte, como da sensibilidade. 

Pense em sensações. Quando seguramos uma pedra de gelo, que cor remete o frio em nossas mãos? Ao comer um prato apimentado, que cor o ardido da pimenta pinta? Quando sentimos o perfume de uma rosa, que cor primeiramente imaginamos? Note que, assim como sentimos e colorimos essas sensações, os sentimentos também podem ser representados por cores, como roxo de raiva, vermelho de vergonha ou branco de susto, assim os mais célebres dos pintores deram vida às suas obras.
Antes de julgar se uma obra é feia ou bonita, devemos tentar absorver os sentimentos que ela exprime. Quem afirma não ter tempo ou paciência para isso, pode estar perdendo uma rara oportunidade de crescer como ser humano e entender os próprios sentimentos.
Dali
A persistência da memória – Dali
Eu poderia escrever durante horas e horas sobre o quão fascinante a Arte pode ser para quem se rende a ela, mas prefiro ilustrar essa minha opinião, com algumas curiosidades, que nos fazem ver as obras com outros olhos.
Um dos meus pintores preferidos é Pablo Picasso. Como pessoa, ele não teve nada de célebre. Era extremamente arrogante e egoísta. Mas, sua obra foi o retrato mais fiel do turbilhão de sentimentos, que esse homem carregou. Por exemplo, ele era um sedutor nato. Cada vez que iniciava um novo relacionamento, fazia retratos da amada obssessivamente. Porém, quando a relação definhava, a musa de suas pinturas, tornava-se feia e desfigurada.  As mulheres de Picasso já sabiam que estavam sendo trocadas, só ao observar a mudança em suas obras.
picasso
MARIE-THÉRESE – Picasso
Degas e Monet, mestres do impressionismo, tinha sérios problemas de visão, que com tempo foram transformando suas pinturas. Van Gogh viveu a maior parte de sua vida atormentado por desequilíbrios emocionais, pela crônica incapacidade de estabelecer relacionamentos duradouros, por seu comportamento irascível, sua impulsividade e suas oscilações de humor. O episódio da auto-mutilação, em que corta o lobo da orelha direita, comprova o  sofrimento mental que o levou a inúmeras internações psiquiátricas, e culminou com o seu suicídio  com apenas 37 anos . Nunca vendeu um quadro enquanto vivo. Sua pintura é forte, colorida e oscilante como os sentimentos, que ele carregava dentro de si.
Esses artistas e suas obras são considerados os mais importantes da história da Arte e  da humanidade.Eles representam a mudança do comportamento e do pensamento humano em suas épocas.Romperam com tradições e crenças, expressaram livremente seus sentimentos e tornaram-se imortais.
Klimt
Klimt
Degas
Edgar Degas
rembrandt
Rembrandt
da_vinci
Leonardo Da Vinci
ticiano
Ticiano
botticelli
Botticelli
rodin
Rodin
Entre os pintores brasileiros, que eu amo loucamente:
portinari
Portinari
ibere
Iberê Camargo
Manabu Mabe
Para saber e ver mais, meus sites prediletos, mais que recomendados são:
Ciudad de la pintura – o maior acervo online de pinturas de todas as épocas e lugares, com fotos de excelente qualidade. 
Enciclopédia das Artes Visuais – Itaú Cultural – Para saber mais sobre Arte brasileira, lugar melhor não há!
História da Arte – dispensa apresentações!

Ver e sentir para entender

Fui convidada para dar aulas de Arte na escola dos meus filhos. Fiquei muito feliz e empolgada, pois terei a oportunidade de tentar transmitir o amor que sinto pela Arte.
van_gogh
Van Gogh
Infelizmente, toda a nossa cultura atual nos distancia da vivência artística. O que é oferecido nas escolas, não dá a oportunidade para as crianças absorverem  a mensagem que a Arte nos traz.
Quando falamos em Arte, o que vem à cabeça são pinturas caras, nem sempre bonitas ou objetos de decoração raras vezes úteis. O assunto é tido como supérfluo e distante da nossa realidade, mas a verdade é que a Arte está inserida em nossas vidas mais do que imaginamos. Há um preconceito em relação a ela. Muitos afirmam não entendê-la e portanto não  a apreciam. Outros dizem que até acham bacana, mas não têm opinião porque não conhecem.

Leia mais deste post

A psicologia insiste na importância da busca da nossa real identidade. Essa louca procura por nós mesmos, deixa muita gente frustrada, pois podemos viver uma vida inteira, sem de fato saber quem somos realmente.

Mas, pensando nessa jornada rumo ao íntimo, passei a questionar sua real necessidade. Não entendo a razão e como isso mudaria nossa maneira viver e sentir. Inclusive, um homem provou que essa busca é insana, e se for para enloquecer, melhor que seja expressando sentimentos, emocionando outras pessoas e se tornando imortal através das palavras. Um homem que se dividiu em vários, deu vida própria e personalidade, nome e identidade, aos seus diferentes modos de pensar, sentir e amar. Fernando Pessoa.

“Tenho um mundo de amigos dentro de mim, com vidas próprias, reais, definidas e imperfeitas.”

“Não querer compreender, não analisar… Ver-se como a natureza; olhar para as suas impressões como para um campo — a sabedoria é isto.”

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto. Faço férias das sensações.”

Esse homem não parecia ser humano. Certamente, ele era divino. Um ser humano comum não é capaz de ver as coisas como Fernando Pessoa via. Ele se dividiu em partes, seus heteronimos, e deu a cada um deles uma maneira diferente de enxergar o mundo. Mas, todos com a mesma genialidade para descrever seus sentimentos e emoções. Abdicou de uma vida cotidiana, normal para todos os homens, e escreveu uma vida de sonhos, sensações e impressões do que ele testemunhava.

“Pertenço, porém, aquela espécie de homens que estão sempre na margem daquilo a que pertencem, nem vêem só a multidão de que são, senão também os grandes espaços que há ao lado.”

É notória a diferença entre seus heterônimos, indivíduos diferentes dentro da mesma pessoa. Encontram-se ligados à unidade ou à pluralidade do próprio criador, à sinceridade, à noção de realidade e à estranheza da existência. A psicologia trataria como um caso de múltiplas personalidades, uma doença, inclusive. Intercalandor vários sentimentos, que se misturam entre si, opondo-se e completando-se, os heterónimos são a mentalização de certas emoções e perspectivas. Deles se destacam três: Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos. Na união de suas personagens, Fernando Pessoa fez da palavra a sua história. Emocionando e inspirando outras pessoas por anos e anos, certamente séculos e séculos. Não há quem não se abale com sua obra. Não há quem não se identifique com sua descrição da vida.

“A vida é para nós o que concebemos nela. Para o rústico cujo campo próprio lhe é tudo, esse campo é um império. Para o César cujo império lhe ainda é pouco, esse império é um campo. O pobre possui um império; o grande possui um campo. Na verdade, não possuímos mais que as nossas próprias sensações; nelas, pois, que não no que elas vêem, temos que fundamentar a realidade da nossa vida.”

“Tive grandes ambições e sonhos dilatados — mas esses também os teve o moço de fretes ou a costureira, porque sonhos tem toda a gente: o que nos diferença é a força de conseguir ou o destino de se conseguir conosco. Em sonhos sou igual ao moço de fretes e à costureira. Só me distingue deles o saber escrever. Sim, é um ato, uma realidade minha que me diferença deles. Na alma sou eu igual.”

Trechos do Livro do Desassossego

%d blogueiros gostam disto: