>Assim é a vida!

>

Eu sempre reclamo do tempo. E no final do ano, ele parece correr mais que no resto do ano. Os dias parecem minutos. 
tempo
Ando afastada das minhas recomendações. Atribulada com o correr desse tempo, que nunca é suficiente. Certamente, como todo mundo, preciso reservar um pouco desse pouco tempo para minhas resoluções de Ano Novo. Quando, como todos os anos, tem-se a impressão de que nossa vida será nova também.
Recebi um e-mail com esse texto super legal da minha querida amiga Sidônia Siqueira, uma psicóloga com orientação antroposófica “porreta de boa”! Pessoa sábia e muito especial. Esse texto descreve bem as metas de cada  etapa da vida, que é igual para todos.


Assim é a vida!

A história se repete , com começo, meio e fim. Eis a vida!

Aos 02 anos sucesso é: conseguir andar.

Aos 04 anos . sucesso é: não fazer xixi nas calças.

Aos 12 anos . sucesso é: ter amigos.

Aos 18 anos . sucesso é: ter carteira de motorista.

Aos 20 anos . sucesso é: fazer sexo.

Aos 35 anos . sucesso é: dinheiro.

Aos 50 anos . sucesso é: dinheiro.

Aos 60 anos . sucesso é: fazer sexo.

Aos 70 anos . sucesso é: ter carteira de motorista.

Aos 75 anos . sucesso é: ter amigos.

Aos 80 anos .. sucesso é: não fazer xixi nas calças.

Aos 90 anos . sucesso é: conseguir andar.”

mao

Então, perde mais tempo não! Vai ser feliz, vai! Esquenta com bobagens, não! Porque o grande filósofo desconhecido dessa frase célebre, tinha toda razão:


“Nessa vida tudo é passageiro, menos o motorista e o cobrador.”
Imagens: Alan Parsons Project – Time  e Artilharia Cultural
Anúncios

>Acenda uma vela!

>

linguaDiz o ditado popular que se conselho fosse bom, a gente não dava, vendia, ou que conselho e água, a gente só dá para quem pede. Definitivamente, eu nunca consegui seguir esses ditados. O Mário costuma dizer, que minha língua é maior que a boca. 
moscaNão consigo ficar quieta, calada. Mesmo sabendo, que em boca fechada não entra mosca. Acabo saindo de intrometida, quando tenho a melhor das intenções. Mas, como de intenções, o inferno está cheio, muitas vezes, um bom conselho pode ser ignorado, devido a má fama do ato.
Assim, com a melhor das intenções, vou deixar um bom conselho. E para que ele seja bem compreendido, é ilustrado. Porque mesmo que para um bom entendedor, meia palavra baste, uma imagem vale mais que mil palavras!

Acenda uma vela!

Tem dia que a gente acorda se sentindo uma carta fora do baralho.

baralho

Um verdadeiro peixe fora d’água

peixe

 
Parece que  o mundo inteiro está nas nossas costas….

mundo

E qualquer coisa pode ser uma puta  pedra no sapato!

sapato

Dá aquela vontade de chutar o balde.

balde

 
Porque mesmo andando na linha e

linha



Ralando o peito todo santo dia,

peito



Tomando o maior cuidado para não trocar as bolas.

bolas

Nem marcar touca, 

touca

Não tem jeito, entramos pelo cano!

cano

 
Mesmo dando tudo de nós, trocando os pés pelas mãos

pés

  
Acabamos pagando o pato por algo que não fizemos ou dissemos.

pato


Algo absurdo, bobo, muitas  vezes sem pé nem cabeça, mas que

cabeça

Acaba nos tornando o testa de ferro,

ferro

De quem lava as mãos e

lavar

Não assume que pisa na bola!

bola

E muitas vezes, dá vontade de descascar o abacaxi, gritar, xingar, mas no fim,

abacaxi

Precisamos mesmo é viver pisando em ovos,

ovos

Controlando os nervos para não quebrar o pau de uma vez!

pau

Muitas vezes temos que tomar um chá de cadeira

cadeira

Esperando a decisão daquele chefe mala sem alça,

mala



Que a gente morre de vontade de mandar queimar a rosca… 

rosca

 Mas, como peixe morre pela boca,

boca



Não é seguro dar essa sugestão, então vamos engolindo um puta sapo todo dia.

sapo

Quando você estiver se sentindo assim, com a corda no pescoço.

pescoço

Ou talvez com o coração partido. 

coração




Não fique chorando pelo leite derramado,

leite

Nem faça tempestade em copo d’água

tempestade



E muito menos, pense em pendurar as chuteiras. 

chuteiras

Ou botar as barbas de molho.

barbas

Também não fique procurando pêlo em ovo!

ovo

Nem com minhoca na cabeça!

minhoca


Não dê uma de João sem braço, que acha que não pode fazer nada!

joao

Enchendo lingüiça, deixando o tempo passar…

tempo

Ao invés de tentar acertar na mosca.

mosca

Não se esqueça que a vida é curta e a qualquer hora você pode bater as botas!

botas

 Você tem a faca e o queijo na mão.

faca


Dê um tempo. tirar uma água do joelho… Ler um bom livro. Tomar uma ducha.

joelho

Ouvir uma boa música ou assistir um filme engraçado pode ser uma mão na roda. Distrai, relaxa e ajuda mesmo!

roda

 Anime-se. Vá se divertir. Solte a franga!

jaca

Enfie o pé na jaca mesmo!

jaca

 
Lembre-se das coisas boas da vida…como agasalhar o croquete

croquete

Molhar o biscoito…

filme

Mas, cuidado para não queimar o filme! Tudo é bom com parcimônia!

queimar
Dani Starck

Não fique com pé atrás com as pessoas. Ainda tem gente boa nesse mundo!

pessoas

Abra o seu melhor sorriso, mesmo que forçado. 

cavalo

E siga adiante… devagar e sempre. Mas, não se esqueça nunca, que é

“Mais fácil acender uma vela que amaldiçoar a escuridão.” (Provérbio Chinês)

A maioria das imagens é do livro “Pequeno Dicionário Ilustrado de Expressões Idiomáticas” dos fotográfos Everton Ballardin e Marcelo Zocchio publicado pela Editora DBA em 1999. 

>Conclusões Suficientes

>

Não resisti. Luís Fernando Veríssimo é mesmo irresistível. E não se repete nunca. Escreve o cotidiano da vida de uma maneira, que o comum da vida de todos torna-se especial e raro. 
sexo
Anthony Ventura
Sexo. A experiência comprova que com o passar dos anos a mulher deixa de lado muitos tabus, um monte de frescuras. Muitas decidem viver de verdade, ser feliz com vontade. Em todos os aspectos, em todas as posições, com o espelho, com o desejo. Se bem que atualmente, o sexo anda tão banalizado… nem sei se ainda existe essa dúvida cruel: dar ou não dar, eis a questão…. Enfim, se ainda existe ou não, o fato é que todo mundo dá, hoje ou amanhã, agora ou daqui a pouco, se ainda não deu, vai dar. E mais uma vez, Luís Fernando Veríssimo arrasa! Reflita e se divirta com esse texto fantástico.
“A carta que não foi mandada”

Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca…
Te chama de nomes que eu não escreveria…
Não te vira com delicadeza…
Não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom.

Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar….
Sem querer apresentar pra mãe…
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral…
Te amolece o gingado…
Te molha o instinto.
Sentir aqueles odores do outro, os fluídos…
experimentar
Anthony Ventura
 Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.

Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de
amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar
ouvir futuro.

amor
Anthony Ventura

Dar é bom, na hora. Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.

Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te
abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar para os outros e se orgulhar, pra dar o
primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: “Qui que cê acha amor?”.

É não ter companhia garantida para viajar e falar besteiras…
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho… de conchinha.
É não ter alguém para ouvir seus dengos…
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
   
amar
Anthony Ventura

Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor. 
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você
flutuar.
Experimente ser amado…
Experimente ser cuidado…
Experimente estar com que topa tudo por você…
E tope tudo com ela…
 
“A vida é a arte de tirar conclusões suficientes de dados insuficientes” (Luiz Fernando Verissimo)

>A Casa Dos 40

>

Eu ainda não entrei na casa dos 40. Ainda vivo na casa dos 30, mas o espelho já me avisou, que o corpo já se mudou para lá! Inclusive, já até recebo as contas! Pela janela dos 30, dá para ver alguma coisa dos 40… O que não estou mais conseguindo ver direito, é o movimento da casa dos 20… será que são os meus óculos recém adquiridos??? 
tempo
O tempo é cruel. Mas já que o destino é certo, façamos da caminhada uma viagem repleta de bom humor. Luis Fernando Veríssimo escreveu esse magnifico e engraçadíssimo texto para o episódio “A casa dos 40” da Comédia da Vida Privada. O cara é um gênio! Sensacional! Divirta-se:

“Quem já entrou na casa dos 40 sabe do que eu estou falando. Eu entrei na casa dos 40. A porta se fechou atrás de mim. As tábuas rangiam sob os meus pés. No jardim havia duas estátuas de anão com a pintura descascada e o ar de quem sabia alguma coisa que eu não sabia. Mas a única coisa que podia ter dito — “Não entre.” — não foi dita. E aqui estou eu cercado de fantasmas, suando frio e me apalpando. As pessoas invariavelmente começam a se apalpar na casa dos 40. Para verem se é verdade e que dorzinha é aquela.
 Dos fundos sombrios da casa dos 40 vem um murmúrio que a princípio eu não entendo. Parece dizer:
– Tcheca, tcheca… O que será “tcheca”?
idade

Tento fugir mas não encontro mais o trinco da porta. Pelas vidraças empoeiradas mal consigo ver a casa dos 30, do outro lado da rua. Não adianta gritar. Lá está havendo uma festa. Ninguém me ouviria.

E pensar que eu passei pela casa dos 30 sem aproveitar nada. Olhava para a casa dos 40 e a achava atraente. Me imaginava nela, grisalho, sábio e respeitável. Não sabia que seria assim por dentro. Perdi a festa na casa dos 30 e agora não posso voltar.


– Tcheca, tcheca…
humor

Tento desistir da idéia, tento voltar. Invento que esqueci minha bolsa na Casa dos Trinta, a saída. Mas só há uma saída na Casa dos Quarenta: a que dá para a Casa dos Cinquenta.

Depois de uma certa idade a gente só enxerga os pés de longe, lá embaixo… e nós já fomos tão íntimos! Quando eu era bebê brincava com meus pés. Mordia, lambia. Depois nunca mais estivemos tão próximos. Às vezes tento visitá-los, mas a coluna não deixa. Viver é ir lentamente se distanciando dos pés.

 – Tcheca, tcheca…
velhice
A vida é como uma gangorra. Quando você chega aos quarenta, está no topo. Tem uma visão privilegiada de tudo. Se sente realizada, superior, a tal. Por dezessete segundos. Depois começa a descida.”

Na verdade é que aos quarenta, pela primeira vez na vida você se dá conta que vai morrer. Que a morte não é como briga de casal, que só acontece com o vizinho. Fazer quarenta anos é o avesso de entrar na Academia de Letras: você ganha uma festa e se torna um mortal.

– Tcheca, tcheca…

Aos quarenta anos você entra na meia-idade. Chama-se meia-idade porque é um meio termo. É quando o espírito meio que quer e a carne meio que não pode mais. Na meia-idade tudo é pela metade. A meia-idade é uma merda!

À medida em que a gente vai envelhecendo, as letras diminuem! Jornal, catálogo telefônico, bula de remédio. Devia ser o contrário. As crianças aprenderiam a lerem grandes livros de filosofia, com a letrinha miúda. E na velhice as letras ficariam progressivamente maiores. À medida que nossos olhos se cansam.”

Tcheca, tcheca…
saude
Mal entrei na casa dos 40 e já encontro uma baixela de prata cheia de contas para pagar…Aqui as despesas aumentam muito. Todo mês tem conta extra: oculista, fármacia, academia, salão de beleza…
Entrei na casa dos 40 pela porta dos fundos. O porteiro me achou tão acabado que não me deixou subir pelo elevador social. Subi pela escada de serviço com o coração aos trancos e a respiração arfante. Um mordomo me recebeu. Sugere que eu sente e fique à vontade, porque os próximos 10 anos passarão num instante.

– Mas afinal, esse “tcheca, tcheca”, o que é?
– É a primeira recomendação que fazemos a todos que entram na casa dos 40. Check up geral. Só apalpar não adianta nada. “

Texto: Luís Fernando Veríssimo – Comédia da Vida Privada
Imagens: Gifts for Geezers, Discover Magazine, HD da guitarra, Staysure

Arte que ensina a viver

A Arte não imita a vida. A Arte também ensina a viver. 
Quando recomendo filmes ou livros, geralmente recomendo aqueles cuja mensagem é de aprendizado, pelo menos para mim. Filmes ditos “papo-cabeça” são mais complexos, porém são os que mais possuem lições de vida. Só que alguns podem ser bem chatos!
Como muita gente não têm paciência com filmes complicados,  é bom saber que todos os filmes trazem em sua mensagem uma lição de vida, que resume sua história, da mais violenta das aventuras até a mais boba comédia.

Li uma matéria excelente na seção Mente Aberta da Revista Época sobre as lições de vida do cinema. Segue abaixo, alguns filmes muito conhecidos e suas respectivas lições, que alegram, emocionam e inspiram qualquer pessoa. Eu aumentaria essa lista para uns 50 filmes, pelo menos! Mas, não dá! Portanto, se você está procurando a solução para um problema e não sabe por onde começar, talvez na locadora ou na tv a cabo, esteja a inspiração que lhe falta!

A amizade supera as diferenças 

Filme: A era do gelo 
Roteiro: O grupo de amigos de espécies diferentes se une para ajudar o próximo.
Lição: É natural que a vida nos encaminhe para rumos diferentes dos de nossos melhores amigos. Mas, quando surgem dificuldades, é com eles que temos de contar.

 
Como não esmorecer diante de problemas desesperadores

Filme: Procurando Nemo
Roteiro: Merlin, pai de Nemo, está inconsolável. Seu filho foi levado por mergulhadores para o outro lado do oceano. Ele consegue encontrá-lo, com a ajuda de uma amiga, Dory.
Lição: Talvez a melhor lição de um filme cheio de lições seja a canção da amnésica Dory: “O chefe acabou com o seu dia? Levou o maior fora da sua vida? Sua sogra vai passar o fim de semana na sua casa? Cante com Dory: “Quando a vida decepciona, qual é a solução? Continue a nadar, continue a nadar, a nadar…”

Como melhorar a autoestima

Filme: Julie & Julia
Roteiro: Julie (Amy Adams) é uma funcionária pública frustrada. Lê o livro sobre cozinha de Julia Childs (Meryl Streep) e se impõe o desafio de repetir todas as suas receitas. O “diploma” seria o pato recheado.
Lição: Impor-se uma tarefa difícil, mas possível – e, de preferência, prazerosa –, pode elevar a autoestima e até trazer benefícios inesperados. No caso de Julie, seu blog virou um sucesso e sua vida melhorou.

Como vencer as máquinas 

Filme: O exterminador do futuro
Roteiro: Uma máquina é enviada do futuro para matar a mãe do líder dos humanos na guerra entre robôs e gente. Sarah Connor (Linda Hamilton) consegue esmagá-la em uma prensa.
Lição: Não tente fazer isso em casa. Chame um eletricista.

Nunca é tarde para se arrepender

Filme: Guerra nas estrelas
Roteiro: Ao final de três filmes inteiros posando de vilão, Darth Vader se sacrifica para salvar o filho.
Lição: A vida familiar dos Skywalkers nunca foi muito saudável. Além de abandonar a mulher grávida, Darth Vader tornou-se o pior inimigo do filho Luke, a ponto de cortar sua mão direita em uma luta. Seu passado nada exemplar não o impede de entregar sua vida para dar cabo do imperador Palpatine, salvando Luke – e de quebra a galáxia. Na conversa final entre pai e filho, sem máscara, o vilão finalmente encontra a paz. Nunca é tarde para fazer a coisa certa.

Nunca aceite comida de estranhos

Filme: Branca de Neve e os Sete Anões
Roteiro: A bruxa disfarçada de velhinha oferece uma maçã envenenada a Branca de Neve, enquanto os sete anões estavam no trabalho.
Lição: O conselho que Mamãe sempre Recomenda! Vale para vários aspectos da vida, não só a comida. A fábula ilustra os riscos da sedução. Nem sempre o que parece apetitoso é saudável – e isso vale para romances, trabalho, lazer, amizades…

Como transformar adolescentes rebeldes em jovens responsáveis 

Filme: Ao mestre com carinho
Roteiro: Um jovem engenheiro desempregado aceita o trabalho de professor num subúrbio de Londres, onde encontra alunos indisciplinados.
Lição: Confrontado com a rebeldia, Mark Thackeray (Sidney Poitier) desiste de ensinar-lhes a matéria e passa a dar aulas de comportamento e postura, demonstrando que não há progresso sem atitudes positivas. Usa leituras e incute neles orgulho de suas origens e opiniões, insistindo para que busquem seu caminho próprio. Inspira-os, em vez de tentar domá-los.

Quem vê cara não vê coração

Filme: Shrek
Roteiro: O ogro verde vê sua paz ameaçada quando o governante de Duloc, Lord Farquaad, expulsa todas as criaturas mágicas para o pântano onde mora. Shrek então se vê forçado a buscar a mulher dos sonhos de Farquaad, a princesa Fiona, que vivia adormecida num castelo protegido por um dragão.
Lição: Shrek é feio, mas tem o coração puro. E a princesa, que também era meio ogro sem saber, escolhe ficar com ele.

Como conquistar seus filhos 

Filme: Uma babá quase perfeita
Roteiro: Daniel (Robin Williams) se divorcia e perde o contato diário com os filhos. Decide, então, se passar por babá para ficar mais perto deles.
Lição: Como pai, Daniel era meio irresponsável. Ao assumir o disfarce de babá, teve de agir como alguém que impõe limites aos filhos. Acabou ganhando o respeito deles.

O valor da amizade

Filme: O náufrago
Roteiro: O funcionário da FedEx Chuck Noland (Tom Hanks), náufrago em uma ilha, desenvolve uma relação de amizade com uma bola de vôlei furada, que ele trata como senhor Wilson.
Lição: Um amigo é um amigo. Ninguém vive sozinho. Nem que seja uma bola! O importante é cultivar uma relação verdadeira.

Como entender sua mulher – ou seu marido

Filme: Se eu fosse você (1 e 2) 

Roteiro: O casal Cláudio (Tony Ramos) e Helena (Glória Pires) tem uma grande discussão. No dia seguinte, eles acordam com os corpos trocados.
Lição: Não existe essa mágica. Mas colocar-se no lugar do outro ajuda a entender como ele (ela) pensa, sente, age. E cria uma relação de mais respeito.

Como vencer um adversário imbatível 

Filme: Quando éramos reis
Roteiro: O filme mostra a preparação de Muhammad Ali para enfrentar o então campeão do mundo de boxe, o superforte George Foreman, no Zaire, em 1974.
Lição: Se você acredita em si mesmo com toda a sua força, pode fazer o mundo acreditar na sua capacidade de vencer, não importa o tamanho do problema que você terá que lutar, torne-o menor que você!

Um grupo unido vira um exército

Filme: 300
Roteiro: 300 soldados, bem comandados e motivados vencem uma batalha contra um exército de milhares.
Lição: A força de um grupo é maior que a soma das partes. Ao formar um círculo fechado, protegido pelos escudos de todos, os alvos se tornam uma carapaça intransponível. É desse grupo coeso que, de vez em quando, sai um golpe individual – para em seguida voltar à proteção do grupo. Fora do campo de batalha, vale a transposição do ensinamento: para aproveitar a força do grupo, é preciso ter disciplina de grupo.

Otimismo demais é idiotice 

Filme: A vida de Brian
Roteiro: Brian, o menino nascido no mesmo dia que Jesus, é crucificado junto a seus comparsas em uma paródia hilariante do Novo Testamento, do grupo Monty Python.
Lição: Se você está sendo crucificado e, a seu lado, alguém canta “Sempre olhe o lado bom da vida”, esse alguém é um idiota.

Como conquistar o respeito

Filme: O poderoso chefão
Roteiro: O primeiro filme da série, inteiro, mostra como Don Corleone (Marlon Brando) comanda uma família mafiosa.
Lição: Um bom líder segue alguns princípios: lealdade a quem lhe é leal; tratar de forma diferente pessoas diferentes; ouvir mais do que falar; manter sua palavra, sempre; considerar todos os impactos de suas ações, nas diversas áreas; e lembrar que as razões de negócio se sobrepõem às paixões (e à vingança), mesmo nos assuntos mais cruciais, de vida e morte.

A vida é melhor do que parece 

Filme: Tudo pode dar certo
Roteiro: Boris (Larry David) é um gênio pessimista e ranzinza. Ao tentar o suicídio pela segunda vez, cai em cima de uma mulher – por quem se apaixona.
Lição: Como em vários filmes recentes de Woody Allen, o recado é: racionalmente, a vida não tem sentido. Mas a realidade insiste em nos presentear com momentos de graça, amor, ternura, amizade, alegria. Aproveite!

Rainhas do Drama

Há algum tempo recebi um e-mail do “Diário dele e dela”. É hilário, muito engraçado.  É a mais perfeita descrição de como nós, mulheres, somos capazes de sofrer baseadas apenas na nossa fértil imaginação. Para quem não conhece o e-mail, eis um resumo:
“O diário dela:
No Sábado à noite ele estava estranho. (…)Fomos a um restaurante e ele AINDA agindo de modo estranho. (…)Perguntei,e ele disse que não era eu. Mas não fiquei muito convencida. (…) Finalmente chegamos a casa e eu já estava pensando se ele me iria deixar! Por isso tentei fazê-lo falar, mas ele ligou a televisão, e sentou-se com um olhar distante que parecia estar me dizendo que estava tudo acabado entre nós. (…).Mais ou menos 10 minutos ele foi se deitar também e para minha surpresa, correspondeu aos meus avanços e fizemos amor. Mas ainda parecia muito distraído, e depois quis confronta-lo e falar sobre isso, mas comecei a chorar e chorei até adormecer. Já não sei o que fazer. Tenho quase a certeza que ele tem alguém e que a minha vida é um autêntico desastre.
O Diário dele:
Time de merda! Perdeu mais uma vez. Pelo menos dei umazinha.”

 Porque será que temos essa tendência ao drama? Essa mania de ficar procurando “pêlo em ovo”??? Já li em muitas revistas, matérias e mais matérias sobre como saber se ele ainda nos ama… ou testes, enfim, muitas ferramentas, que alimentam ainda mais nossa tendência ao sofrimento antecipado.
O Mário viaja bastante a trabalho. O seu passado o condena. Minha mãe, que foi vítima de traição (assunto para outro post), sempre me pergunta se eu não fico preocupada se ele está me traindo ou não. Sinceramente, não se trata de auto confiança, mas de auto preservação, mas eu não fico preocupada com isso. Procuro não dar ouvidos a minha mente fértil, porque podemos criar tensões e desgastes desnecessários à relação, que já é suficientemente bombardeada pela rotina e pelo tempo.
Vigiar, conferir telefonemas, gastos, roupas, ficar ligando para saber o que está fazendo… enfim, ficar na cola do cidadão, só o incentiva a cometer o crime, porque assim fica mais emocionante. Inclusive, se a “aporrinhação” já existe, melhor que tenha fundamento!
Se não bastasse nossa própria capacidade de inventar “chifre em cabeça de cavalo” e na nossa também, ainda somos pressionadas pela imaginação das amigas, que dão corda para nossa neura.
A saída para desfazer essa ilusão toda é relaxar! Na maioria das vezes, a história é exatamente como a descrita no e-mail. Quando não for, acredite na máxima “Mentira tem perna curta”, pois homem nenhum consegue disfarçar por muito tempo suas mancadas. E ao descobrir-las, caberá a você analisar a gravidade da mancada e dar o castigo merecido. Aí sim é chegado o momento de lamentar, sofrer, chorar, se descabelar, comer mil bombons, ouvir música sertaneja e assistir todos os filmes românticos da tv.  Mas, por favor! Só chegue a esse ponto, quando você já tiver comprovação física e científica do problema, não vá se descabelar à toa, ok?!

Imagens: Ovos, Drama, Cavalo, Sofrimento

Vale o click!

Ultimamente, eu tenho escrito muitos posts “papo-cabeça”, então para variar, e não ficar chato, hoje eu vou recomendar! Recomendar blogs e sites que eu conheci e fiquei fâ. Óbvio, que não vai dar para citar todos, porque sou uma navegadora compulsiva e eclética. E para não ser injusta, vou recomendar aqueles que fogem ao comum, inteligentes, bem humorados, interessantes…enfim, Dê você o adjetivo, depois me conta! E se conhecer um com essas características, me apresenta!

obvious 

Obvious – Um olhar mais demorado 
Se você gosta de manisfestações artísticas em geral, esse é o lugar. Tem de tudo! Música, cinema, artes visuais, fotografia, design, tecnologia. É excelente, com imagens lindas! Esse está mais que recomendado!

Que é que não gosta de falar de amor? O amor é lindo mesmo! E se vier bem escrito e bem ilustrado, fica mais lindo ainda! Já conheci muitos blogs amorosos, mas esse é de tão bom gosto, tão bem escrito e ilustrado, que eu recomendo com muito prazer!  Inspirado no livro “Fragmentos de um discurso amoroso”, vale a pena conferir! 

Pink Ego

Pink Ego
Humor inteligente, textos ótimos de um cara que sabe mesmo se expressar! Esse é o Pink Ego – Uma coleção de Pequenos Pecados. Simplesmente ótimo! Só clicando para entender e adorar!  

marilyn monroe

The impossible cool  Você gosta de fotos antigas? E se for de gente famosa? De um tempo bom, que não volta mais? Fotos inéditas de gente que fez história e tornou-se imortal. Visite também o A Conversation on Cool , excelente!

Histórias da Carochinha
E por falar em fotos antigas, esse também é bem bacana! Um blog de ilustrações infantis antigas. Bem legal!

Comboio Turbulento
Quem gosta de poesias e viagens filosoficas vai adorar esse! O texto é muito lindo! Pinturas escritas! Recomendo e adoro!

Eu ficaria horas recomendando os blogs e sites que eu gosto! Nem caberia num post! Vai ter que ter uma parte 2!

E você? Apresenta para mim os seus favoritos!

%d blogueiros gostam disto: